sábado, junho 29, 2002

Aguardem opinião sobre O Senhor dos Anéis.

sexta-feira, junho 28, 2002

Tradução brasileira feita por Lenita Maria Rímoli Esteves:

“Muitos que vivem merecem a morte. E alguns que morrem merecem viver. Você pode dar-lhes vida? Então não seja tão ávido para julgar e condenar alguém à morte. Pois mesmo os muito sábios não conseguem ver os dois lados.” Gandalf / Pág. 61

“Estranhos são os caminhos da sorte! Com grande freqüência o ódio fere a si mesmo!” Gandalf / Pág. 613

“Um traidor pode trair-se a si mesmo e fazer o bem que não pretende.” Gandalf / Pág. 862.

“No fim não sobra nada além do que `poderia ter sido´.” Gimli / Pág. 924


The Lord of the Rings by J R R Tolkien:

“Many that live deserve death. And some that die deserve life. Can you give it to them? Then do not be too eager to deal out death in judgment. For even the very wise cannot see all ends.” Gandalf / Pág.58

“Strange are the turns of fortune! Often does hatred hurt itself!” Gandalf / Pág.571

“A traitor may betray himself and do good that he does not intend.” Gandalf / Pág.797

“Come to naught in the end but might-have-beens.” Gimli / Pág.855

quarta-feira, junho 26, 2002

Aqui não me comprometo com nada, nada além de ser fiel a mim mesma. Já visitei outros blogs (por sinal, muito bons), onde os autores comprometem-se em escrever mensagens diárias e impõem-se várias regras. Não farei isso. A minha única regra é a liberdade. Liberdade de expor a minha opinião. Liberdade de dissertar sobre o que eu considero como obra de arte. Apenas espero que os leitores pensem um pouco. Viajem. Ninguém precisa concordar com as minhas idéias. Sou meramente um átomo no espaço infinito. Um átomo pensante, porém. Assim como todos vocês...
Deixarei o meu e-mail, para que os interessados em me escrever – quer seja para discordar, concordar, acrescentar ou sugerir – possam entrar em contato comigo. Anotem aí: reginasoares1@hotmail.com.

Arte
É impressionante o efeito que pode causar um filme, uma peça teatral, uma poesia, uma música, uma pintura, uma escultura e até uma mera citação. Bombardeados por um número absurdo de informações e sempre apressados demais para digeri-las apropriadamente, quantas e quantas não foram as vezes em que relegamos reflexões importantes? Muitas, sem dúvida. No entanto, a arte gera reação além do nosso controle. Ela se instala no nosso subconsciente. Toma nossa alma e constrói nela uma ponte invisível – porém concreta – entre nosso coração e nossa mente. Queiramos ou não, nunca mais somos os mesmos depois de termos contato com uma obra artística. Famosas ou desconhecidas; exaltadas ou desdenhadas. Todas têm seu valor.
Arte é o que nos toca e transforma. O conceito artístico varia de pessoa para pessoa. O que os críticos elegem como clássico universal para muitos não vale nada. De fato, o nível de instrução da maioria dos habitantes – não só do Brasil, como também de todos os países – é inegavelmente baixo. Portanto, são os trabalhos mais simples, não os mais complexos, que realmente têm grande alcance. Uma frase pode resumir um mundo de idéias. Uma expressão facial pode desnudar o espírito. Depende do contexto, depende do receptor. Arte é aquilo que nos afeta, que nos faz refletir. Prepotentes são aqueles que a limitam, achando que têm direito de julgar por todos o que é artístico e o que é lixo. Arte é o que cada um acha que é arte.
“Na arte não existe passado nem futuro. A arte que não está no presente não existirá nunca.” Pablo Picasso